Eu mudei minha alimentação, ops… mudei minha mente! (PARTE 1)

Oi gente, boa noite! Tudo bom com vocês???!

Comecei a falar sobre a minha transformação na semana passada e deu um retorno tãaaao bacana. Muita gente mandando direct, dividindo suas histórias comigo… isso é ótimo! Em breve vou começar a compartilhar por aqui algumas dicas de coisas que tem me ajudado muuuito no combate da minha ansiedade, prometo! Mas hoje quero dividir uma outra versão de mudanças, falar mais especificamente da minha alimentação.

Como eu era?! Desde novinha que sou muito “ruim de boca”. Viciada em Mc Donalds, formiga de natureza, não gostava de nenhuma verdura, legume? Só comia batata frita. Nem suco eu bebia gente, e se bebia era de caixinha. Mas ao mesmo tempo, sempre fui “magra de ruim”, comia, comia, comia e não engordava. Até os 18 anos, quando comecei a ter umas gordurinhas localizadas. Isso me incomodava, mas eu usava o seguinte discurso: “prefiro ser gordinha de feliz”. Aí já começava meu primeiro erro, né? Associar felicidade à comida. Porque não ser magra e feliz?! Eu achava que era impossível. Enfim… o tempo foi passando, até que chegou 2014 e o meu primeiro concurso de miss. Faltava 1 mês pro Miss Minas Gerais e eu precisava mudar meu corpo. Pesava 61kg e queria chegar a 56kg, ou seja, difícil.

 

Eu estava assim antes de começar a me preparar para o concurso! 61kg
Eu estava assim antes de começar a me preparar para o concurso! 61kg

 

Sem acompanhamento nutricional, o que resolvi fazer foi simplesmente trocar tudo que comia por algo mais light. Como assim? Meu café da manhã era “seven boys” integral com requeijão light ou muçarela light e peito de peru, no almoço comia frango, arroz integral e caldo de feijão, de tarde era outro sanduíche e pão integral com cheddar light e um iogurte grego (comia aqueles Danio) e à noite ovo mexido e água. E não é que eu emagreci 5 kg em um mês?! ÓBIVO né? A pessoa comia Mc Donalds duas vezes por semana, ia sempre em rodízios de pizza, só comia fritura, refrigerante e chocolate. Qualquer redução calórica grande me faria emagrecer, mas isso a curto prazo e sem saúde. Foi o que aconteceu… eu ganhei o concurso, iria para o Miss Brasil Mundo em 8 meses e precisava manter meu corpo. Como? Eu odiava dieta! Até tentei dar continuidade às mesmas coisas que estava comendo antes, mas, embora estivesse muuuuito magra (cheguei a 54kg), comecei a ficar fraca, ter enjoos, sensações de desmaios e vi que não estava certo.

 

Com 54kg, super magra! Mas ainda estava infeliz e sem saúde.
Com 54kg, super magra! Mas ainda estava infeliz e sem saúde.

 

O que eu fiz? Marquei uma nutricionista. Ahhhh, vocês vão achar que aí meus problemas acabaram né? Só que não. A nutri só serviu para que eu começasse a tomar whey, tomasse um iogurte melhorzinho e trocasse para um pão integral realmente integral, mas continuei não comendo “comida de verdade”. Nessa fase, eu seguia super bem a dieta por uns 10 dias e aí quando resolvia me permitir comer doce ou qualquer coisa que gostava comia com uma compulsão enorme (1 barra de chocolate inteira, dois hambúrgueres, dois sorvetes, sempre no exagero).

Continuei assim por um ano, até ir para a Suíça para um treinamento que fiz para o concurso internacional que participei em janeiro de 2015. Lá fui “obrigada” a comer salada todos os dias, frutas, legumes… não tinha outra opção. Eu tinha que seguir a dieta do treinamento. Foram 10 dias assim e eu posso dizer que pelo menos serviu para eu “conseguir” comer salada, porque continuava não gostando nem um pouco.

 

A primeira salada que comi na vida eu não esqueço! (Ainda mais que era gringa kkkkk)
A primeira salada que comi na vida eu não esqueço! (Ainda mais que era gringa kkkkk)

 

Mantive a dieta que aprendi lá até janeiro, por causa do concurso, mas ainda trocava várias coisas por industrializados, tinha compulsões direto e passava muuuito mal. Nessa época ainda passei por um problema absurdo com a comida, porque eu pesava 55kg e não me achava magra. Quaaaaase tive um distúrbio alimentar, quase! Eu era muito infeliz comendo aquelas coisas, não saía com meus amigos e meu namorado, vivia pro corpo.

 

Estava assim e me achava gorda. Comoooo???
Estava assim e me achava gorda. Comoooo???

 

Enfim… concurso passou e o que eu fiz? Chuteeeeeei o balde! Voltei com todos os meus vícios alimentares anteriores a essa era de concursos. Quando começava a ver as minhas gordurinhas ficando mais críticas, tentava fazer alguma dieta doida, mas sempre desistia. Voltei para aquela frase “vou ficar gordinha, mas pelo menos feliz”. De novo essa relação errônea com a comida.

Essa minha maneira de enxergar a alimentação, minhas compulsões alimentares, esse caminho cada vez mais longe da saúde… Tudo isso durou até o começo desse ano, quando eu de fato me transformei. O post está enorme, então vou continuar o meu relato no próximo, ok? Aí conto pra vocês o que me fez mudar, como tá minha cabeça agora, as mudanças que já enxerguei e posso tirar as dúvidas que quiserem também!

 

Como estou hoje :) Só pra introduzir o próximo post rsrs
Como estou hoje :) Só pra introduzir o próximo post rsrs

 

Quem se identificou com esse post? Quem também tem essa relação de amor/ódio com a comida? Quem também acredita que é impossível “fazer dieta” e ser feliz? Quero saber a história de vocês, quais são as maiores dificuldades, o que é seu ponto fraco. Ahhh, e quero saber as histórias de superação também emmm… Me contem tuuuuuuudo!

Se vocês gostaram do post, deixa um recadinho pra mim aí embaixo me contando sua opinião, compartilha com seus amigos e fique atento porque já já escrevo a continuação disso tudo aí.

Beijinhosssss amores!

 

Compartilhe:

 

Comentários: